Todos os dias

Todos os dias eles se colocam ali. Em pé, parados, com os rostos encostados na grade do portão.

Por alguns instantes ou enquanto suas pernas suportarem o peso de seus corpos.

Do lado de dentro observam o movimento da rua.

Talvez esperem que alguma coisa os tire da rotina.

Talvez pensem sobre o que de errado acreditam existir naquele vaivém.

Talvez simplesmente estejam ali, parados.

Ele de boca aberta e olhos perdidos.

Ela cantarolando uma música guardada na cabeça ou no coração.